Jubileu de Ouro da Paróquia Nossa Senhora de Fátima Rainha de Todos os Santos

Nossa Paróquia comemora, no dia 28 de maio deste ano, o seu Jubileu. São 50 anos de história em uma comunidade vividamente animada pelo Espírito Santo.

O início de tudo se deu quando, em maio de 1945, o então padre Luiz João Cordioli foi designado capelão do Convento da Santíssima Trindade, situado à Rua Almirante Calheiros da Graça.

Padre Luiz tinha uma grande devoção a Nossa Senhora de Fátima. Ainda em Florianópolis, onde foi ordenado padre, todas as noites rezava diante da imagem da Virgem e lhe pedia a graça de sua saúde. Nessa ocasião, recebeu a inspiração de fazer um voto: construir uma igreja, santuário ou capela onde se pudesse honrar e venerar a Mãe de Deus. Ainda não sabia onde nem como, mas fez o propósito.

Em 1956, o então Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Jaime de Barros Câmara, o procurou e lhe revelou seu desejo de criar uma nova paróquia. E deu ao padre Luiz essa incumbência. A Providência Divina mostrou ao padre que era tempo de agradecer pelas graças recebidas de Nossa Senhora. Pediu então a Dom Jaime que a padroeira fosse Nossa Senhora de Fátima. Aceito o pedido, padre Cordioli deu início a uma verdadeira maratona de oração.

Todas as noites, saía em procissão, com a imagem de Nossa Senhora de Fátima em um andor, e ia de casa em casa. As velas acesas iluminavam o caminho. Rezava-se o Terço, meditava-se uma passagem da Bíblia Sagrada ou das aparições de Fátima. Aos domingos, padre Luiz celebrava a Santa Missa nas vilas, nos terrenos desocupados ou nas ruas.

Por fim, após muito trabalho e colaboração, conseguiu comprar a casa de número 158 da Rua Adriano, onde foi edificada uma capela. E era nesse pequeno espaço que as celebrações aconteciam. Nessas primeiras instalações, havia somente dez bancos para toda a comunidade participar da Santa Missa. Entretanto, a obra foi progredindo e, por fim, em 28 de maio de 1967, a Paróquia Nossa Senhora de Fátima Rainha de Todos os Santos foi inaugurada oficialmente. Entretanto, padre Luiz Cordioli não participou desse momento, pois falecera no ano anterior.

O painel que se vê na fachada da Igreja retrata o Milagre do Sol. É obra do artista plástico Ivan Ivan, que, na época, usou como modelo, para caracterizar a multidão, o rosto de algumas pessoas da comunidade.

Cinquenta anos se passaram e a Paróquia celebra com a comunidade a alegria desse momento.

No mês da comemoração do Jubileu, a Paróquia tem mais um motivo para celebrar. No dia 23 de março, o Papa Francisco aprovou o decreto que reconhece o milagre atribuído à intercessão dos pastorinhos Francisco e Jacinta Marto. O milagre que concederá a canonização aos pastorinhos é a cura e uma criança brasileira.

Na festa do dia 13 de maio, quando também se comemoram os 100 anos das aparições em Fátima, as celebrações terão início com a oração do Terço, sempre antes das Missas. Nos dias que antecedem a festa, 10, 11 e 12 de maio, será realizado o Tríduo de Nossa Senhora de Fátima.

No dia 28 de maio, os horários de Missas e as festividades, serão divulgados no programa da Paróquia.Imagem matéria Espaço Aberto a-mons-luiz-cordilolli-

Os Pastorinhos de Fátima Francisco e Jacinta Marto serão canonizados

O Papa Francisco aprovou no dia 23 de março o milagre necessário para a canonização dos Beatos Francisco e Jacinta Marto, videntes de Fátima, anunciou a sala de imprensa da Santa Sé.

A canonização de Francisco (1908-1919) e Jacinta Marto (1910-1920), beatificados a 13 de maio de 2000 pelo Papa João Paulo II, em Fátima, dependia do reconhecimento de um milagre atribuído à sua intercessão.