Amor ou Dependência

Para viver plenamente o amor cristão, é preciso deixar que Deus reordene nossas relações de apego. Isso significa deixar que Deus seja Deus, seja o centro e a prioridade da nossa vida. Jesus nos ensina uma dolorosa mas importante lição:

“Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim, não é digno de mim. Quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim, não é digno de mim. Quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim.” (Mt 10, 37s)

Se amamos nosso filho a ponto de colocarmos ele acima de tudo e de todos, nos tornamos escravos dessa relação. Isso não é saudável, nem para nós nem pra eles. Se em nome desse amor nós pecamos, mentimos, nós maltratamos o filho ou a nós mesmos, já não é mais amor pleno. Somente Deus pode nos ensinar a amar na medida! O amor comunhão, fruto da liberdade dos filhos de Deus. É desse amor que nosso filho precisa. Ele não precisa ser idolatrado, ou superprotegido. Ele precisa aprender com nosso exemplo que a felicidade se resume a amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo.

Colaboração
Yolanda Abreu
Psicóloga clínica e educacional
Especialista em Psicologia Escolar
Atua como psicóloga escolar da Secretaria de Educação da Prefeitura de Itaguaí